xxxxxxxxxxxxxxxx

Trigo: perdas pelo frio devem chegar a 15% no RS

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, acredita-se que 15% a 20% das áreas de trigo, notadamente maior quantidade nas Missões e Noroeste do estado, estavam em estágios sujeitos a perdas. “Como todos sabem, as perdas decorrentes de fenômeno climático de geadas, não podem ser medidas de pronto e muitas vezes só serão sentidas na colheita”, comenta.
 
“No mercado disponível semana praticamente morta, pessoal apreensivo com a geada, que pegou as Missões em cheio. Foram negociadas no máximo 1.500 tons, a R$ 1.320,00 o branqueador e R$ 1.280,00 o pão, basicamente sobras de silos e sobras de semente. Tem ainda 2.000 tons de trigo branqueador e o vendedor pede R$1.320,00 FOB”, completa.
 
Para a exportação, mesmo com a oscilação do câmbio, o preço manteve-se em R$ 1.020,00/t no porto, para entrega e pagamento em dezembro. “Com a previsão de geadas, não há vendedores. Não há pressão de ambos os lados. As previsões da meteorologia são de ventos forte, chuvas e geadas neste fim de semana. Poe enquanto a previsão do potencial produtivo fica mais perto de 2,7 MT do que de 3,0 MT inicialmente anunciadas”, indica.
 
No Paraná, os danos só serão conhecidos no final da próxima semana. “Com relação aos preços o mercado está cotando R$ 1.150,00 trigo posto Ponta Grossa para agosto; R$ 1.100,00 trigo posto moinho entrega setembro de 2020; R$ 1.000,00 trigo posto moinho entrega outubro de 2020; R$ 950,00 trigo posto moinho entrega novembro de 2020. Na falta de trigo barato, alguns moinhos estão comprando farinha daqueles que vendem barato. Há bastante demanda para trigos de setembro para frente”, informa.
 
No Centro-Oeste os preços poderão subir, se a safra do PR for danificada. “Em Minas Gerais preços caiu para R$ 1.060,00, como havíamos anunciado, que havia um viés de baixa. Mas, como o estado se abastece muito no Paraná, os preços poderão voltar a subir se a safra paranaense for danificada”, conclui.
 
(Agrolink)

Agricultor acelera colheita da cana no interior de SP e vê boa demanda pelo produto

O preço pago pela cana-de-açúcar está animando agricultores do interior de São Paulo. No estado, a colheita está a pleno vapor.
No Centro-Sul do país, os trabalhos de campo estão adiantados, já foram colhidas mais de 308 milhões de toneladas, quase 6% a mais que na comparação com o mesmo período do ano passado. A expectativa é de que o Brasil colha 642 milhões de toneladas até novembro.
 
Apesar de a pandemia ter afetado a demanda por etanol, com queda de produção estimada em 6,6%, a necessidade das usinas em fabricar açúcar (crescimento de 47,6%) tem ajudado os agricultores.
As empresas estão pagando mais pela tonelada da cana e o setor acredita que esse é um bom momento para investir no canavial.
 
(Globo Rural)

Pesquisadores vão debater manejo de gafanhotos dia 27/8

Nuvens de gafanhotos migradores da Ásia, da África e América do Sul no cenário da sanidade vegetal têm deixado em alerta governos e cientistas. A recorrência do problema nos países sul-americanos tem provocado debates sobre como tratar do problema e os especialistas apontam a necessidade de estratégias de controle desses insetos. Diante disso, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO) e o Centro Internacional de Biociência Agrícola (CABI-Plantwise) vão realizar a primeira webinar do Ano Internacional da Sanidade Vegetal 2020 (AISV 2020) abordando o tema Inovações e estratégias no manejo de gafanhotos.
 
Essa evento digital (de uma série que deverá acontecer por conta do AISV 2020) vai ocorrer no dia 27/8, a partir das 14h (horário de Brasília), no canal do Mapa no YouTube. O pesquisador Marcos Faria da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília, DF) é um dos palestrantes da webinar, que contará também com a participação da pesquisadora Belinda Luke, do CABI/Reino Unido, e mediação de Juliana Alexandre Ribeiro, auditora fiscal agropecuária do Mapa.
Segundo o pesquisador Marcelo Lopes, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, coordenador técnico da reunião digital, a expectativa dos organizadores é de que este e os eventos digitais cumpram um papel importante: o de conscientizar a sociedade a respeito de assuntos sobre o AISV 2020, entre eles o que trata das estratégias para combater os gafanhotos.
 
É preciso proteger a sanidade das plantas
A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) declarou 2020 como o Ano Internacional das Nações Unidas para a Saúde Vegetal (AISV) tendo como primeiro objetivo aumentar a conscientização das pessoas em todos os continentes sobre como proteger a sanidade das plantas, como ajudar a erradicar a fome, reduzir a pobreza, proteger o meio ambiente e impulsionar o desenvolvimento econômico. Devido à Covid-19 as atividades programadas para ocorrer neste ano vão ser estendidas para 2021.
 
Os objetivos chave do 2020 AISV:
– Criar consciência sobre a importância das plantas saudáveis para realizar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável;
– Destacar o impacto da sanidade vegetal na segurança alimentar e nas funções ecossistêmicas;
– Compartilhar as melhores práticas sobre como manter as plantas saudáveis ao mesmo tempo em que se protege o meio ambiente.
Para acompanhar o webinar Inovações e estratégias no manejo de gafanhotos no dia 27/8, a partir das 14h (horário de Brasília), basta acessar o canal do Mapa no Youtube.
 
Você também pode conferir mais detalhes a respeito do Ano Internacional da Sanidade Vegetal 2020 (AISV 2020) ouvindo a entrevista do pesquisador Marcelo Lopes no podcast Café com Ciência.
 
Maria Devanir Heberlê (MTb/RS 5297)
Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
 
(Embrapa)