Guerra comercial: Brasil deve assumir ponta na soja

O Brasil pode substituir os norte-americanos como maior produtor de soja do mundo
 
Analistas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicaram que tanto a China quanto os EUA poderão ter prejuízos relacionados à soja com a disputa comercial travada entre os dois países. De acordo com informações do portal Agriculture, a situação causará uma inversão entre os maiores exportadores da oleaginosa, com o Brasil podendo substituir os norte-americanos como maior produtor de soja do mundo.
 
Segundo o portal, as importações chinesas de soja devem cair 8% durante o ano comercial de 2018/2019, apesar dos grandes embarques comprados do Brasil. Além disso, os consumidores chineses provavelmente terão uma oferta menor de óleo de soja. “A tarifa que a China impôs recentemente à soja dos EUA deve causar preços mais altos para a soja na China”, disse o USDA.
 
Para os EUA, o USDA reduziu a previsão de exportações de soja em 2018/2019 para 2,04 bilhões de bushels, uma queda de 11%, em relação à projeção estipulada no mês de maio. Segundo o Agriculture, o estoque de soja aumentaria para 580 milhões de bushels até o momento da colheita da safra de 2019, o que se configuraria como o maior “carryover” dos EUA em 74 anos de registros do USDA.
“Apesar de perder participação de mercado na China, as exportações de soja são apoiadas em outros mercados, já que os preços mais baixos dos EUA aumentam a demanda e a participação de mercado”, informou o relatório.
 
Com os preços futuros da soja caindo em 20% no mercado de Chicago desde o final de maio, o presidente Donald Trump prometeu proteger os agricultores da retaliação chinesa. Porém, até o momento, o presidente norte-americano se recusou a explicar a ajuda qual auxilio poderá oferecer.
 
(Fonte: Agrolink)
 

Nortox apresenta no 17º. Herbishow resultados inovadores da Trifluralina Gold para cultura da cana-de-açúcar

Está sendo realizado no Centro de Eventos do Ribeirão Shopping, em Ribeirão Preto (SP), nos dias 16 e 17 de maio, o 17º. Herbishow.  A Nortox, que participa como patrocinadora, apresentou os seus mais recentes resultados de Trifluralina Gold na cultura de cana-de-açúcar e que comprovam a eficiência de sua formulação em relação às demais formulações de Trifluralina do mercado, na concentração de 600 g/L.

 

São resultados de pesquisa conduzidos em laboratório na Unesp Jaboticabal (SP), com os Professores Edivaldo Velini e Caio Carbonari no ano de 2018. As formulações foram expostas a perda por volatilização e fotodegradação, comprovando que a formulação inovadora da Trifluralina Gold Nortox perde entre 20-25% menos ingrediente ativo do que a formulação concorrente de mercado a 600 g/L, reforçando ainda mais o posicionamento da empresa no campo de Dose Comercial versus Dose Comercial do concorrente, pois a tecnologia de formulação da Trifluralina Gold garante a mesma eficiência.

 

Para comprovar os resultados de laboratório foram conduzidos diversos trabalhos de campo junto à Agrocon, em Santa Bárbara do Oeste (SP), com o pesquisador Marcelo Nicolai, onde a Trifluralina Gold Nortox entregou no campo os mesmos resultados de eficiência agronômica que o concorrente a 600 g/L quando utilizados na mesma dose comercial, seja em PPI, PP e PQL.

 

Para fechar os trabalhos com chave de ouro, a Nortox lançou um novo posicionamento para Trifluralina Gold na cultura da cana-de-açúcar, em soca úmida, onde mesmo aplicada sobre a palhada de cana-de-açúcar em pré-emergência total e até pós-emergência da cultura no estágio de 3-4 folhas, a Trifluralina Gold entregou um resultado de controle muito consistente e com seletividade total para cultura.

 

Segundo Guilherme Acquarole, Gerente de Marketing da Nortox, a empresa possui um enorme know-how com a molécula de Trifluralina, pois sintetiza a mesma desde 1972. “Foi o primeiro herbicida que a empresa sintetizou no Brasil e continua investindo maciçamente na molécula, pois no cenário atual de plantas daninhas de difícil controle ela se tornou novamente uma ferramenta importantíssima e totalmente atual para várias culturas, dentre elas cana-de-açúcar, soja e algodão”, ressalta Acquarole.

 

Já Leonardo Araújo, Gerente Nacional de Vendas Sul da Nortox, frisa que a Trifluralina hoje é indispensável em várias culturas e na cana-de-açúcar principalmente, já que é uma molécula versátil, segura, seletiva e extremamente eficiente no controle de gramíneas, que é um problema crescente na cultura de cana-de-açúcar, e estes recentes resultados trazem maior respaldo, segurança e credibilidade para as recomendações no campo.

 

Nortox entra no mercado de sementes de milho

 

A Nortox S.A., maior fabricante nacional de agroquímicos, atuando no mercado brasileiro há 63 anos, lança linha de sementes de milho nesta safra 17/18 com o objetivo de, nos próximos 10 anos, se tornar uma opção de qualidade, trazendo uma genética própria e disponibilizando novas opções para os produtores rurais brasileiros.

Segundo o Diretor Comercial João Marcos Ferrari, a Nortox quer trazer toda sua tradição, confiança e inovação, características do mercado de agroquímicos e nutrição, para o mercado de sementes de milho. Assim, a meta é se tornar uma opção sólida e segura para o produtor rural, como já é no segmento de agroquímicos e nutrição vegetal, com boas tecnologias a um custo mais acessível e, com isso, proporcionando maior rentabilidade para os que atuam no segmento.

Ainda segundo Ferrari, nessa safra a Nortox terá um volume pequeno de sementes de milho, em torno de 50 mil sacos. Porém, já para próxima safra os planos da empresa são mais ambiciosos. “Estamos dando o primeiro passo de uma longa caminhada e iremos seguir nosso DNA, de ser uma empresa sólida e alicerçada em nossos ideais, dando um passo de cada vez e construindo, pouco a pouco, junto ao agricultor, um novo horizonte dentro de um importante segmento do agronegócio brasileiro”, destaca Ferrari.